INSTITUTO GENEALÓGICO DA BAHIA

Fundado em 1945

 

 

 

 

Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Júnior

(Presidente)

·        Quem somos

O Instituto Genealógico da Bahia é uma instituição cultural sem fins lucrativos, fundado em 14 de abril de 1945, em substituição à Seção da Bahia do Instituto Genealógico Brasileiro, instalada em 10 de julho de 1941, reconhecido de utilidade pública pelo decreto estadual nº 13.427, de 26 de fevereiro de 1946 e qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, em 2004.

O seu quadro social compõe-se das seguintes categorias: Membro Titular e Titular Emérito, Sócio Benemérito, Efetivo, Honorário, Correspondente e Mantenedor, tendo por finalidade principal estudar, cultivar e difundir a genealogia, a heráldica e ciências afins, através de pesquisas, reuniões, conferências, congressos, cursos e publicações, inclusive de uma revista.

Selo e lema: (Vide imagem no cabeçalho deste).

LEMA: os descendentes colherão teus frutos.

MISSÃO

     Colaborar de forma efetiva com os estudiosos e pesquisadores na difícil tarefa de recuperar a memória de nossas famílias e em uma dimensão maior de nosso povo e nossa terra, contemplando a pluralidade e diversidade cultural étnica do Brasil.

·        Objetivos

*      Objetivo geral:

O Instituto Genealógico da Bahia tem por objetivo principal estudar, cultivar e difundir a genealogia, a herládica e ciências afins, buscando aprofundar as reflexões acerca da necessidade de se resgatar a memória familiar do povo brasileiro contemplando as três principais etnias formadoras do nosso país: o branco, o negro e o índio, levando em conta, também, a contribuição do imigrante.

*      Objetivos específicos:

         Publicação da Revista do Instituto Genealógico da Bahia;

         Promoção e realização de eventos culturais: palestras, cursos, seminários, congressos.

         Manutenção de Intercâmbios culturais;

         Realização de visitas institucionais;

         Recebimento de arquivos privados de famílias e acervos bibliográficos;

         Publicação de uma agenda cultural com a programação mensal da instituição;

         Realização de exposições permanentes e temporárias;

        Intercâmbio com os órgãos oficiais do governo do Estado da Bahia com a finalidade incentivar o turismo histórico cultural, promovendo visitas a sítios históricos, como antigos engenhos de açúcar e solares baianos.

     Promover um curso de Heráldica com o a finalidade de capacitar estudantes na arte de pintar brasões.

  • RESUMO HISTÓRICO

 Fundação do Instituto

Inspirou a fundação do Instituto Genealógico o desejo de estudar, cultivar e difundir a genealogia e a heráldica, através de pesquisas, reuniões, conferências, congressos, cursos e publicações de uma Revista.

Idealizado por um grupo de intelectuais baianos, que em 10 de junho de 1941, instalaram a Seção Baiana do Instituto Genealógico Brasileiro, foi fundado em 14 de abril de 1945.

Seus sócios fundadores: João da Costa Pinto Dantas Júnior, Mário Torres, Antônio de Araújo de Aragão Bulcão Sobrinho, João José do Nascimento Junqueira, Afonso Rui de Souza, Hermann Neeser, Gonçalo de Athayde Pereira, Cid Teixeira, Jorge Calmon, entre outros, foram atraídos pelo movimento genealógico brasileiro, que nos idos de 1940, se organizaram em São Paulo, sob a inspiração do coronel Salvador de Moyá, pioneiro e fundador do Instituto Genealógico Brasileiro, iniciador de congêneres em todos os estados da União, inclusive o da Bahia.

Iniciada suas atividades logo após a sua fundação, o Instituto teve como sócios nomes de relevo do cenário cultural da Bahia, entre os quais destacamos: Arnold Wildberger, Elísio de Carvalho Lisboa, Frederico Edelweiss, Godofredo Filho, Jorge Calmon, José Antônio do Prado Valadares, Miguel Calmon Du Pin e Almeida, Osvaldo Valente, Anfrisia Santiago, Augusto Viana Ribeiro dos Santos, só para citar alguns.

DIRETORIA

CARGO                                      NOME                                        CADEIRA

Presidente

Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Júnior

15

1º Vice-Presidente

Francisco Cesar Lins Sant’Ana

25

2º Vice-Presidente

João da Costa Pinto Dantas Neto

32

3º Vice- Presidente

Eduardo Morais de Castro

02

Secretário Geral

William Vieira do Nascimento

35

1º Secretário

Anna Amélia Vieira Nascimento

02

Diretor de Finanças

Sylvio de Carvalho Marback

16

Tesoureiro

Ramiro Senna Berbert de Castro

11

Bibliotecária-arquivista

Maria Mercedes Tourinho Dantas Guerra

17

Diretor da Revista

Jorge Ricardo Almeida Fonseca

20

Diretor de informática

Luís da Costa Leal Fiho

21

Orador oficial

Cid José Teixeira Cavalcanti

01

CONSELHO FISCAL

NOME                                                                CADEIRA

Aristeu Barreto de Almeida

28

Daniel Marback Barbosa de Souza

12

José Dionísio Nóbrega

29

SUPLENTES

NOME                                                                CADEIRA

Osvaldo Augusto Teixeira.

07

Aramis de Almada Ribeiro Costa

14

Moacir Pinheiro.

10

        Estrutura jurídica

É uma sociedade civil (instituição cultural), sem fins lucrativos, com sede e foro na cidade do Salvador, Bahia, Brasil, sito na Avenida Sete de Setembro, 94-A, Piedade, CEP: 40.060-001, Salvador-Bahia-Brasil.

       Estatuto de 14 de abril de 1945, registrado sob nº 548 no Livro nº 7 do Cartório de Registros de Pessoas Jurídicas, em 9 de fevereiro de 1946; reformado: em 10 de março de 1958, registrado sob nº 1.257, do Livro A, nº 16, do Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Salvador, em 25 de julho do mesmo ano; em 28 de janeiro de 1997, registrado sob nº 09762, do Livro A-8, do Registro Civil de Pessoas jurídicas do 1º Ofício de Salvador, em 3 de agosto de 2000; em Assembléia Geral Extraordinária, em 16 de junho de 2004 e registrado sob nº 16256, do Livro A-1, do Registro Civil de Pessoas Jurídicas do 1º Ofício de Salvador, em 6 de agosto de 2004; em Assembléia Geral.....

      Utilidade pública – reconhecido de utilidade pública pelo decreto-lei estadual nº 13.427 de 26 de fevereiro de 1946.

      Conselho Nacional do Serviço Social – registrado no Conselho Nacional do Serviço Social, sob nº 3.581, em 29 de agosto de 1952.

      OSCIP -  qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, conforme processo MJ nº 08026 013387/2004-10, e despacho da Secretaria Nacional da Justiça, de 28 de setembro de 2004, publicado no Diário Oficial da União de 4 de outubro de 2004.

  Nossa Revista.

         O Instituto Genealógico da Bahia tem publicado 24 Revistas, sendo a nº 1 lançada em 1945, no ano de sua fundação, editada pela Imprensa Oficial, tendo a primeira diretoria como Presidente – João da Costa Pinto Dantas Júnior, Vice-Presidente – Afonso Rui de Souza, Secretário-Geral – Mário Torres, Tesoureiro – Hermann Neeser, Bibliotecário-arquivista – Cid Teixeira. A comissão de Redação era composta por Afonso Rui de Souza, Osvaldo Valente, Mário Torres, Herman Nesser, José Lima.

            A primeira revista contou com a apresentação do dr. Elísio de Carvalho Lisboa, então prefeito de Salvador e teve artigos e trabalhos de Afonso Rui de Souza, Cid Teixeira, Mário Torres, Waldemar Matos, Antônio de Araújo de Aragão Bulcão Sobrinho e Herman Neeser.

            Em 2005, publicamos a Revista de nº 22, em edição comemorativa dos 60 anos do IGB. Neste número apresentamos os dados biográficos dos patronos, fundadores e demais membros titulares das cadeiras do IGB, propondo-se a ser uma obra de referência.

            Nossa Revista possui trabalhos sobre genealogia, heráldica, temas relacionados à histórica social e ciências afins. Está aberta a todos os pesquisadores e estudiosos que vejam a genealogia como uma ciência, não mais sendo instrumento de simples cronologia de gerações.

            Deste modo, pretendemos ampliar com nossa publicação o estudo da genealogia para que ela deixe de ser focada apenas na “lenta, aliciante e mágica composição de um puzzle, com peças de procedência diversa, destinada a reconstituir a Árvore da Vida”, sem, todavia, lhe interpretar os dados e fatos adjacentes”*, para alcançar o estágio de patrimônio comum de todas as famílias brasileiras.

            Com nossa Revista o IGB caminha de braços dados com a ciência histórica, com o objetivo de reconstituir o passado, mas ampliando o seu leque de ações e metodologias propostas. Sem limitações, mas com propostas renovadas e úteis, de amplo alcance social e antropológico e enveredando para o campo da História Social e das Mentalidades. 

            Os mais mil artigos e trabalhos publicados nas nossas Revistas contribuem para o aprofundamento das reflexões acerca da necessidade de se resgatar a memória familiar, pois ela constitui o núcleo básico da sociedade, tornando-se uma importante fonte de estudo não só para a genealogia, como para a historiografia baiana e brasileira.

        Publicação de sócios

  ALMEIDA, Aristeu Barreto de. Famílias Barreto: nascidos e casados de 1785 a 1900 em Nazaré, Santo Antônio de Jesus, São Felipe, Conceição de Almeida, Santana do Rio Doce e Castro Alves.

   CARVALHO JR, Álvaro Pinto Dantas de. O Barão de Jeremoabo e a política do seu tempo: trajetória de um líder conservador na Bahia.

FONSECA, Jorge Ricardo Almeida; NASCIMENTO, William Vieira do. Baianos nos tribunais superiores do Brasil (Da Casa da Suplicação ao Supremo Tribunal Federal).

ROCHA, Everaldo Pedreira Rocha. Rocha. Uma família da Bahia 1774-1998. (Estudo Genealógico).

  SANT’ANA, Francisco César Lins. Memória de família. Estudo genealógico da família Machado de Faria.

  SANT’ANA, Francisco César Lins. Memória de família. Estudo genealógico das famílias Lins, Almeida e Alves.

          LIVROS DOADOS

(Atualizado em junho de 2009).

 

         Bahia: signos da fé

Socorro Targino Martinez

(Doação de Roberto Sales de Araújo de Aragão Bulcão).

 

      Os baianos nos tribunais superiores do Brasil (Da casa da Suplicação ao Supremo Tribunal Federal).

Jorge Ricardo Almeida Fonseca; William Vieira do Nacimento.

(Doação de Jorge Ricardo Almeida Fonseca e William Vieira do Nascimento).

 

      O Barão de Jeremoabo e a política do seu tempo: trajetória de um líder conservador na Bahia.

Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Júnior

(Doação de Álvaro Pinto Dantas de Carvalho Júnior)

 

      Descendência do Capitão-Mor João D’antas dos Imperiais Itapicuru. Ramo do Barão de Jeremoabo.

Maurício Tourinho Dantas.

(Doação de Maurício Tourinho Dantas).

 

      Evocações

Raymundo de Souza Brito

(Doação de Ramiro Senna Berbert de Castro).

 

      As famílias Studart e Pereira

Carlos Studart Filho

(Doação de Consuelo Pondé de Sena).

 

     Memória da Justiça Brasileira

Carlos Alberto Carrilo

(Doação de João da Costa Pinto Dantas Neto)

 

      Revistas

Sociedade Brasileira de Pesquisas Históricas

(Doação de Consuelo Ponde de Sena).

 

       Revista da Academia de Letras Jurídicas da Bahia

Academia de Letras Jurídicas da Bahia

(Doação de João da Costa Pinto Dantas Neto)

 

          QUEM ESTÁ PESQUISANDO

        Carlos Alberto Medrado

Tema: família Medrado

Finalidade: trabalho genealógico.

 

       Marcelo José Machado da Rocha

Tema: família Alves de Amorim

Finalidade: trabalho genealógico

 

      Roberval Muniz Fiúza

Tema: família Muniz Fiúza

Finalidade: árvore genealógica.

 

      José Alípio Estrela Maciel

Tema: genealogia e biografia de ex-comandantes da Polícia Militar da Bahia.

Finalidade: preparação para a comemoração dos 200 anos da Polícia Militar da Bahia.

HORÁRIO DE ATENDIMENTO (da biblioteca e sala de pesquisa).

            O Instituto Genealógico da Bahia disponibiliza a sua biblioteca e arquivo aos pesquisadores e um atendimento individualizado e especializado nos seguintes dias e horário:

  • Quarta-feira: 14:00 às 17:30
  • Quinta-feira: 14:00 às 17:30

Caso o pesquisador necessite de outros dias para realizar sua pesquisa, favor entrar em contato conosco através do nosso e-mail institucional para agendar outro horário.

 Onde pesquisar genealogia na Bahia

Arquivo Histórico Municipal de Salvador

http://www.cultura.salvador.ba.gov.br/arquivo-historico.php

 

Arquivo Público do Estado da Bahia

www.fpc.ba.gov.br/arquivo_publico_institucional_apresentacao.asp

 

Biblioteca Pública do Estado da Bahia

www.fpc.ba.gov.br/biblioteca_bpeba.as

 

Fundação Gregório de Matos

http://www.cultura.salvador.ba.gov.br/index2.php

 

Igreja dos Mórmons – Centro de História da Família (No bairro de Amaralina).

http://buratto.org/gens/gn_chf.html

 

Laboratório Monsenhor Eugênio Veiga (Universidade Católica do Salvador).

www.queroserucsal.com.br

 

(Onde está abrigado o arquivo da Cúria Metropolitana do Salvador).

Mosteiro de São Bento da Bahia

www.saobento.org

 

Santa Casa de Misericórdia da Bahia

www.santacasaba.org.br/portal_misericordia.php - 20

 

BREVEMENTE AQUI

RELAÇÃO

DAS

REVISTAS E OUTRAS PUBLICAÇÕES

DISPONÍVEIS PARA VENDA

 

 

 

                                  JBC  
   
 

© 1977-2009 - Jornal Brasileiro de Cultura - Todos os Direitos Reservados